VIDA LIVRE DAS DROGAS

VIDA LIVRE DAS DROGAS

TRADUTOR:

domingo, 25 de dezembro de 2016

"PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA RIO CAETÉ NA REUNIÃO DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS - EM: 03.11.2016"


"PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS DA ESCOLA RIO CAETÉ NA REUNIÃO DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS - 03.11.2016"


No dia 03.11.2016 os alunos do 1º ano 101, do Ensino Médio do turno da noite da Escola Rio Caeté, participaram de uma reunião de Alcoólicos Anônimos no Grupo Acolhedor, que funciona na Travessa João XXIII, Nº326, no Bairro: Centro, na Cidade de Bragança do Pará, Brasil.

A iniciativa de assistir esta reunião partiu dos alunos depois de trabalharem a questão das drogas como tema transversal dentro da disciplina Filosofia, pois os alunos foram além do tema drogas e partiram para conhecer alguns projetos que buscam ajudar as pessoas a deixaram o vício das drogas, dentro os quais está a Irmandade de Alcoólicos Anônimos que comemorou no dia 13.03.2016 trinta e um anos de serviço prestados na cidade de Bragança. 

Na reunião que já havia sido agendada os alunos foram surpreendidos com uma ótima recepção e também com a apresentação da "Trajetória do Alcoolismo" feita por um dos membros de AA, além de muitos depoimentos de recuperação e no intervalo fizeram um lanche, no qual também ajudaram, pois levaram bolo e suco de frutas.

Com certeza este foi um momento de muito aprendizado, comunhão de experiências e de reconhecimento a esta Irmandade que tem feito muito por nossa cidade de Bragança !!!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

"VISITA DOS ALUNOS DA ESCOLA RIO CAETÉ NA FAZENDA DA ESPERANÇA DOM ELISEU"


"VISITA DOS ALUNOS DA ESCOLA RIO CAETÉ NA FAZENDA DA ESPERANÇA DOM ELISEU"


Depois de uma Palestra feita na Escola Rio Caeté no dia 19.09.2016 pelos responsáveis e acolhidos da Fazenda da Esperança Dom Eliseu, brotou nos alunos o desejo de fazer uma visita a esta Obra Social que ajuda na recuperação de dependentes de drogas. 

E a visita foi concretizada no dia 27.09.2016 pelos alunos do 1º ano 101, 1º ano 102 e 2º ano 201 da manhã, além de recolherem alimentos para fazer uma pequena doação para esta Obra Social, os mesmos tiveram o privilégio de ouvir alguns depoimentos dos acolhidos e de conhecer as instalações da Fazenda da Esperança como: as casas, o aviário, a criação de porcos, a casa de farinha, a padaria, hortas e capela.

Nesta visita utilizamos como meio de transporte bicicletas, no percurso aproveitamos e visitamos o IFPA e registramos este momento também!

Esta visita foi com certeza foi um momento de solidariedade com esta Obra Social e de aprendizado para vida !!!

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

"PALESTRA SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DAS DROGAS E AS METODOLOGIAS UTILIZADAS PELA FAZENDA DA ESPERANÇA NA RECUPERAÇÃO DOS DEPENDENDES"



"PALESTRA SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DAS DROGAS E AS METODOLOGIAS UTILIZADAS PELA FAZENDA DA ESPERANÇA NA RECUPERAÇÃO DOS DEPENDENTES"


No dia 19 de setembro de 2016 foi realizada na Escola Rio Caeté uma palestra sobre: "As consequências das drogas e as metodologias utilizadas pela Fazenda da Esperança na recuperação dos dependentes", a qual foi promovida pelos responsáveis da Fazenda da Esperança Dom Eliseu e  público alvo desta palestra foram as turmas do Ensino Médio do 1º ano 101 e 102 do turno da manhã.

Nesta palestra houve depoimentos de pessoas que estão se recuperando da dependência das drogas, mostrando as consequências das drogas em suas vidas e as metodologias empregadas pela Fazenda da Esperança nesta recuperação, que tem com base a utilização do chamado "tripé", que consiste em três pontos importantes: "ESPIRITUALIDADE, TRABALHO e CONVIVÊNCIA".

Depois da exposição houve um momento para perguntas dos participantes e exposição dos produtos que são fabricados por esta Obra social como: doces, bombons e agendas. E no final os alunos fizeram uma doação de alimentos para a Fazenda da Esperança Dom Eliseu como forma de agradecer, de incentivar e de prestar solidariedade com esta Obra social que já existe desde 1983 e que está na cidade de Bragança deste 2005.

Deixamos os nossos agradecimentos aos palestrantes e participantes com a certeza que este este foi um momento edificante para todos !!!

domingo, 25 de setembro de 2016

"PALESTRA SOBRE O ALCOOLISMO E A JUVENTUDE"


"PALESTRA SOBRE ALCOOLISMO E A JUVENTUDE"


No dia 23 de agosto de 2016 foi realizada uma palestra pelos membros do AA - Alcoólicos Anônimos para os alunos da  turma do 2ª ano 201, do turno da manhã, o com o tema: "Alcoolismo e juventude", com objetivo de esclarecer a problemática do alcoolismo e como este tem afetado negativamente a juventude brasileira. 

Os palestrantes também falaram do AA e seu método de recuperação, alguns compartilharam suas experiências de recuperação, no final abriram espaço para dúvidas e perguntas dos participantes. Avaliando este momento podemos afirmar que foi muito válido como aprendizagem para os alunos tanto pelos conhecimentos, experiências repassados como pelas perguntas que foram sabiamente respondidas.

Obs: Para preservar o anonimato dos palestrantes não postamos as suas imagens neste blog, somente as imagens do público participante.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

"ALCOOLISMO: A FAMÍLIA NA BUSCA DA RECUPERAÇÃO"


Obs: Imagem extraída do site: www.snpcultura.org


"ALCOOLISMO: A FAMÍLIA NA BUSCA DA RECUPERAÇÃO"


Sabemos que o alcoolismo é uma doença crônica, progressiva e fatal, que tem assolado milhares e milhares de homens e mulheres no mundo inteiro. Porém, muito pouco temos falado dessa doença e de sua devastadora dimensão no campo emocional, no âmbito das relações familiares.

Primeiro as primeiras coisas; é preciso não apenas conceituar a família, mas também, compreendê-la como um sistema dinâmico no qual, o que acontece com um dos membros, afeta todos os demais.

Numa família, quando um dos membros sofre da doença alcoolismo, o impacto decorrente  está diretamente relacionado às reações que vão ocorrendo com o alcoólico em todo o processo da doença, antes e durante a sua recuperação.

Ao longo de muitos anos trabalhando com alcoólicos, percebemos que essa doença multifacetada provoca indagações com relação à dinâmica familiar que se estabelece em torno do membro assim adoecido. Cabe então dizer que inicialmente a família passa por vários estágios, desde a negação da doença até a sua total desestruturação.

A estrutura familiar passa a ser permeada por mentiras e cumplicidades, o que gera um clima de segredo familiar cuja regra é o não dito das emoções. Isso leva a família a assumir uma inversão de papeis e funções, como por exemplo, um filho assume o lugar do pai ou da mãe alcoólica e toma para si todas as responsabilidades pertinentes aos pais.

Diante dessa desordem familiar, podemos constatar em algumas famílias a formação de alianças secretas entre filhos e pais, que levam a uma total falta de limites e perda da autoridade entre os subsistemas parental (pais) e fraterno (os filhos).

Os mitos familiares precisam ser identificados, dentre eles a postura do "caso perdido" ou do "isso não tem mais jeito", que leva a família crer que sua situação "é coisa do destino", ou que o alcoólico bebe porque é "sem vergonha" ou "um fraco" em sua fé. Tais mitos levam a uma falta de atitude na busca de ajuda.

Ao acolher famílias que buscam ajuda para tratar seus membros alcoólicos, inúmeras vezes identificamos a FAMÍLIA ADOECIDA, tanto quanto ou muito mais que o próprio alcoólico.

Ou seja, uma família intoxicada, não pelo álcool, mas por emoções corrosivas que alteram completamente o seu centro de equilíbrio. Isso pode ser percebido nas narrativas apresentadas, no tom de voz, nos gestos rígidos. Os familiares experimentam cotidianamente: FRUSTRAÇÃO, ANSIEDADE, CULPA,TRISTEZA, RAIVA, MÁGOA, IMPOTÊNCIA E RESSENTIMENTOS, que levam essa família a uma grande exaustão emocional.

Há também certas atitudes, certos valores e crenças, certos comportamentos presentes em determinadas famílias, que empurram seus membros alcoólicos de volta para o alcoolismo ativo. Infelizmente, algumas famílias, por desconhecerem os fatos a respeito da doença, de algum modo sabotam o tratamento do alcoólico.

Tais familiares tornam-se isolados. Focalizam o comportamento do alcoólico e fazem tentativas de controlá-lo. Acabam vivendo um autoabandono, pois dedicam pouco tempo às próprias atividades.

Surge então a chamada CODEPENDÊNCIA, uma doença emocional adquirida a partir de relacionamentos disfuncionais. É uma síndrome definível, crônica e segue uma progressão previsível, tal como o próprio alcoolismo.

Durante anos, muitos alcoólicos acreditam não ser dignos do amor de seus familiares e, em contrapartida, muitos familiares não acreditam que seriam capazes de amar novamente e com a mesma intensidade seus entes alcoólicos.

No caminho da recuperação, é preciso desenvolver relacionamentos saudáveis dentro da estrutura familiar. Sair das relações insanas entre alcoólico e sua família, através do poder curativo encontrado na prática do PROGRAMA DE DOZE PASSOS DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS.

Nesse programa de recuperação, todos podem desenvolver e ampliar seu contato com um Poder Superior, tal como cada um O concebe, e verdadeiramente trocar um projeto de morte por um projeto de vida.

Pessoas podem sim recomeçar a viver saudavelmente, expressando ao seu próximo todo o respeito e confiança que passa a depositar nele e, principalmente, em si mesmo.

Compreendemos que pessoas precisam de pessoas, pois através dos relacionamentos aprendemos a lidar com fatos da vida. Expressar reconhecimento através de palavras e ações será sempre uma grande ferramenta para o exercício da sobriedade emocional.

É preciso que estejamos atentos a essa doença e incentivemos também a família para o seu próprio tratamento, através de AL-ANON - a Irmandade que acolhe familiares e amigos de alcoólicos -, pois acreditamos que, sozinhos não podemos, mas, juntos, família e alcoólico podem reencontrar o saudável caminho da recuperação.


AUTORA: Drª JAIRA FREIXIELA ADAMCZYK 
(Presidente da JUNAAB - Psicóloga, Terapeuta de família e de casal, Mestre em Tratamento e Prevenção das Drogadependências - Florianópolis/SC)


Obs: Este artigo foi extraído da Revista Vivência - Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos, ano:31, número:4, Julho-agosto, ano: 2016, páginas: 06, 07 e 08. 
Site da AA: www.alcoolicosanonimos.org.br
Site da revista: www.revistavivencia.org.br